Você conhece Gentileza?

O Profeta Gentileza, como era conhecido, foi José Datrino, (11/04/1917 – 28 /05/1996), uma personalidade urbana do Rio de Janeiro, uma espécie de pregador, que se tornou conhecido a partir de 1980 por fazer inscrições peculiares sob um viaduto situado na Avenida Brasil, na zona portuária do Rio, onde andava com uma túnica branca e longa barba.

Começou a sua jornada como personagem andarilho. A partir de 1970 percorreu toda a cidade, era visto em ruas, praças, nas barcas da travessia entre as cidades do Rio de Janeiro e Niterói, em trens e ônibus, fazendo sua pregação e levando palavras de amor, bondade e respeito pelo próximo e pela natureza a todos que cruzassem seu caminho.

Aos que o chamavam de louco, ele respondia: – “Sou maluco para te amar e louco para te salvar”.

– Seus Murais –

A partir de 1980, escolheu 56 pilastras do viaduto da Avenida Brasil, que vai do Cemitério do Caju até o Terminal Rodoviário do Rio de Janeiro, numa extensão de aproximadamente 1,5 km, para, com suas inscrições em verde-amarelo propor uma crítica do mundo e sua alternativa ao mal-estar da civilização.

Durante a Eco-92, o Profeta Gentileza colocava-se estrategicamente no lugar por onde passavam os representantes dos povos e incitava-os a viverem a gentileza e a aplicarem gentileza em toda a Terra.

Atualmente os murais estão ameaçados de destruição pelo projeto “Porto Maravilha” da prefeitura do RJ, que pretende demolir o viaduto, onde os murais estão. Como os murais são tombados pela prefeitura, não há consenso sobre o que acontecerá com eles.

– Homenagens –

Gentileza foi homenageado na música pelo compositor Gonzaguinha, nos anos 1980; e também pela cantora Marisa Monte, nos anos 1990. As duas canções levam o nome Gentileza.
A canção de Gonzaguinha mostrava uma homenagem ao profeta, como se vê no trecho: “Feito louco / Pelas ruas / Com sua fé / Gentileza / O profeta / E as palavras / Calmamente / Semeando / O amor / À vida / Aos humanos”. A canção de Marisa Monte, por sua vez, além de incentivar os valores pregados pelo profeta (no trecho “Nós que passamos apressados / Pelas ruas da cidade / Merecemos ler as letras / E as palavras de Gentileza”), retrata os danos ocorridos contra os murais, como diz o trecho: “Apagaram tudo / Pintaram tudo de cinza / Só ficou no muro / Tristeza e tinta fresca”.

– Crença –

Gentileza anunciava a “gentileza que é o remédio para todos os males”. Deus é “Gentileza porque é Beleza, Perfeição, Bondade, Riqueza, a Natureza, nosso Pai Criador”. Um refrão sempre voltava, especialmente nas 56 pilastras com inscrições na entrada da rodoviária Novo Rio no Caju: “Gentileza gera gentileza, amor”. Convidava a todos a serem gentis e agradecidos. Anunciava um antídoto à brutalidade de nosso sistema de relações e, sob a linguagem popular e religiosa, um novo paradigma civilizatório urgente em toda a humanidade.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Profeta_Gentileza

Nunca é demais lembrar que:

Gentileza gera Gentileza

Dizer obrigado, por favor e com licença não machucam ninguém

Educação e respeito são essenciais

O seu direito acaba a partir do momento que o meu começa

É na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais

A única coisa que interfere com meu aprendizado, é a minha educação

Anúncios